21 de nov de 2010

Será que é possível instalar um OS no mundo?

Essa foi minha dúvida lançada nas redes sociais. Seria interessante poder no dia-a-dia utilizar as mesmas ferramentas que usamos em nossos computadores e celulares.

Imagine ir ao supermercado, ou em uma loja, e trazer tudo em um pen drive? Sem necessidade de sacolas (o meio-ambiente agradece), carrinho, porta-malas... Ou olhar para o céu e arrastar um sol tão esperado, clicando a chuva para a lixeira. Não seria o interessante?

Se você deparasse com algo legal, não precisaria de câmera para registrar. Bastaria pensar em Ctrl+C / Ctrl+V e pronto! Caso não possa ficar no local, seria só refletir: quero baixar tudo e imprimir. Já sei, está em uma reunião chata, né? Simples, pense no mute e deixa rolar, ou pense em >> que iniciará a próxima fala da pessoa, ou pense > para tocar sua música preferida em sua mente.

Sua vida empacou? Simples, reinicie (se bem que você terá que viver tudo o que foi vivido de novo, caso não tenha realizado backup)! Também tem a opção de realizar um upgrade na alma e seguir em frente. Essa história de upgrade é interessante, por exemplo, quando você compra um objeto e logo depois sai um modelo novo... Você assopraria e o objeto começaria a se atualizar. Como seria viajar? Muito semelhante ao envio de e-mail. Você seria enviado em uma velocidade hipersônica ao local que desejar. Bastaria imaginar e tudo apareceria instantaneamente na sua frente.

O uso de camisinha também não seria necessário, desde que seu antivírus tivesse atualizado. Certamente teria o incomodo de, antes do ato sexual, ter que digitar o mecanismo conhecido como Captcha, contudo, seria apenas no primeiro encontro. A partir daí, o “navegador” da pessoa salvaria automaticamente a senha. Nesta Terra 7.x.4 é provável que seu sobrenome mude para Google, Microsoft, Apple, Facebook, Twitter, etc., mas é apenas um detalhe acordado entre você e seu fabricante...

Afinal, como você imagina o futuro-presente?

Um comentário:

  1. Nesse "estado das coisas" não haveriam cadeirantes. Uma vez por ano todos fariam um ponto de restauração que seria utilizado depois de uma doença, cirurgia, acidente, queda, assalto...
    Super!!!

    ResponderExcluir